Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.uepg.br/jspui/handle/prefix/6
metadata.dc.type: Tese
Title: QUANTIFICAÇÃO DE METAIS EM PEIXES (GEOPHAGUS BRASILIENSIS, CYPRINUS CARPIO), ÁGUA E SEDIMENTO DO RESERVATÓRIO DE ALAGADOS EM PONTA GROSSA/PR E AVALIAÇÃO DA BIOCONCENTRAÇÃO E BIOACUMULAÇÃO
metadata.dc.creator: Voigt, Carmen Lúcia
metadata.dc.contributor.advisor1: Campos, Sandro Xavier de
metadata.dc.contributor.referee1: Vieira, Eny Maria
metadata.dc.contributor.referee2: Chaves, Eduardo Sidinei
metadata.dc.contributor.referee3: Solci, Maria Cristina
metadata.dc.contributor.referee4: Fujiwara, Sérgio Toshio
metadata.dc.description.resumo: A partir da concentração na água e sedimento, a bioconcentração e bioacumulação de Ag, Al, As, Cd, Co, Cr, Cu, Fe, Mn, Ni, Pb e Zn foram determinadas em brânquias, fígado e músculo de Geophagus brasiliensis e brânquias e fígado de Cyprinus carpio do Reservatório de Alagados, Ponta Grossa, Paraná, Brasil. Os metais foram quantificados por espectrometria de absorção atômica (AAS) sendo realizado estudo sobre as relações existentes dos metais com o peso corporal, o tamanho e gênero das espécies. Os níveis de metais nas águas do reservatório foram inferiores aos níveis máximos permitidos pela legislação, com exceção do Cd e Fe. Nos sedimentos Cu, Cd, Cr e Ni apresentaram concentrações acima do Nível Limiar de Efeitos adversos à comunidade biológica e nenhum dos metais analisados ultrapassou os níveis de efeitos prováveis adversos. Altas concentrações de metais biodisponíveis foram encontradas no sedimento. Em G. brasiliensis, Pb e Cr excederam os limites estipulados na legislação para o consumo humano de peixe. Os metais Cu, Pb, Ag, As, Cd, Co e Ni tiveram maiores concentrações médias no fígado e os metais Fe, Mn e Zn tiveram maiores concentrações médias nas brânquias do G. brasiliensis. A análise estatística não mostrou diferenças substanciais nos níveis de concentração de metais entre peso corporal, o tamanho e gênero do G. brasiliensis e os três tecidos analisados. O fígado de G. brasiliensis tem maior afinidade para bioconcentração que músculo e maior afinidade para bioconcentração de Cu, Co, Cd, Cr, Ag e Ni do que as brânquias, que tiveram a maior afinidade para a bioconcentração de Mn, Zn e Fe. Quanto à bioacumulação de metais em G. brasiliensis, o fígado tem maior afinidade para bioacumulação de metais que músculo e maior afinidade para bioacumulação de Cu, Co, Cd, Cr, Ag, Pb, Ni e As do que as brânquias. A bioconcentração e bioacumulação dos metais nos tecidos de G. brasiliensis seguiu a tendência global do Fígado > Brânquias > Músculo. Em C. carpio, os metais Mn, Zn, Co, Cd, Cr e Al tiveram maiores concentrações médias nas brânquias e os metais Cu e Fe tiveram maiores concentrações médias no fígado. A correlação de Pearson mostrou que alguns metais aumentam significativamente com o aumento do peso e o tamanho dos espécimes de C. carpio, sendo Al, Cr, Ni (P< 0,01) e Cu, Fe (P<0,05). A análise estatística indicou que não há diferenças substanciais nos níveis de concentração de metais entre o gênero de C. carpio e os dois tecidos analisados. O fígado de C. carpio tem maior afinidade para bioconcentração dos metais Cu, Zn e Fe do que as brânquias que possuem maior afinidade para bioconcentração dos metais Mn, Co, Cd, Cr, Ag e Ni. Para bioacumulação em C. carpio o fígado tem maior afinidade para bioacumulação dos metais Cu, Ag, Ni e Fe do que as brânquias que possuem maior afinidade para bioacumulação de Mn, Zn, Co, Cd, Cr, Pb e Al. Em geral, as maiores concentrações de metais ocorreram nos maiores espécimes de C. carpio analisados. O Reservatório de Alagados possui contaminação por metais e as espécies Geophagus brasiliensis e Cyprinus carpio podem ser usadas como bioindicadoras de contaminação ambiental.
Abstract: From the concentration in water and sediment, bioconcentration and bioaccumulation of Ag, Al, As, Cd, Co, Cr, Cu, Fe, Mn, Ni, Pb and Zn were determined in gills, liver and muscles of Geophagus brasiliensis and gills and liver of Cyprinus carpio in the Alagados Reservoir, Ponta Grossa, Paraná, Brazil. Metals were quantified through atomic absorption spectrometry (AAS) and a study was carried out on the existing relations between metal and body weight, size and genre of this species. The level of metals in the waters of the reservoir was lower than the maximum levels allowed by legislation, except for that of Cd and Fe. In sediments, Cu, Cd, Cr and Ni presented concentrations above the threshold effect level adverse biological community and none of the analyzed metals exceeded the levels of probable effects level adverse. High concentrations of bioavailable metals were found in the sediment. In G. brasiliensis, Pb and Cr exceeded the limits stipulated in legislation for human consumption of fish. The metals Cu, Pb, Ag, As, Cd, Co and Ni had higher average concentrations in the liver and Fe, Mn and Zn had higher average concentrations in the gills G. brasiliensis. Statistical analysis did not showed significant differences in levels of metal concentration between body weight, size and gender of G. brasiliensis and the three analyzed tissues. The liver G. brasiliensis has higher affinity for that muscle bioconcentration and higher affinity for bioconcentration Cu, Co, Cd, Cr, Ni and Ag than the gills, that had the greatest affinity for bioconcentration Mn, Zn and Fe. How much bioaccumulation of metals in G. brasiliensis, the liver has greater affinity for metals muscle bioaccumulation and higher affinity for bioaccumulation Cu, Co, Cd, Cr, Ag, Pb, Ni and As than the gills. Bioconcentration and bioaccumulation of metals in G. brasiliensis tissues followed the global trend of Liver > Gills > Muscle. In C. carpio, the metals Mn, Zn, Co, Cd, Cr and Al had higher average concentrations in the gills and the metals Cu and Fe had higher average concentrations in the liver. The Pearson correlation showed that some metals significantly increase with the increase in the weight and size of C. carpio specimens, these being Al, Cr, Ni (P < 0,01), Cu, Fe (P < 0,05). Statistical analysis indicated that no significant differences in levels of metal concentration between gender C. carpio and the two analyzed tissues. The liver of C. carpio has more affinity for bioconcentration of Cu, Zn and Fe than the gills which have higher affinity for bioconcentration of metals Mn, Co, Cd, Cr, Ag and Ni. For bioaccumulation in C. carpio the liver has more affinity for bioaccumulation of Cu, Ag, Ni and Fe than the gills which have higher affinity for bioaccumulation Mn, Zn, Co, Cd, Cr, Pb and Al. In general, higher concentrations of metals occurred in the larger C. carpio specimens analyzed. The Alagados Reservoir has metal contamination and Geophagus brasiliensis and Cyprinus carpio species can be used as bio-indicators of environmental contamination.
Keywords: metais
reservatório
bioconcentração
bioacumulação
Geophagus brasiliensis
Cyprinus carpio
metals
reservoir
bioconcentration
bioaccumulation
Geophagus brasiliensis
Cyprinus carpio
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICA::QUIMICA ANALITICA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: BR
Publisher: UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA
metadata.dc.publisher.initials: UEPG
metadata.dc.publisher.department: Físico Química, Química Analitica, Química Organica, Química Inorgânica
metadata.dc.publisher.program: Programa Associado de Pós-Graduação em Química - Doutorado
Citation: VOIGT, Carmen Lúcia. QUANTIFICAÇÃO DE METAIS EM PEIXES (GEOPHAGUS BRASILIENSIS, CYPRINUS CARPIO), ÁGUA E SEDIMENTO DO RESERVATÓRIO DE ALAGADOS EM PONTA GROSSA/PR E AVALIAÇÃO DA BIOCONCENTRAÇÃO E BIOACUMULAÇÃO. 2015. 136 f. Tese (Doutorado em Físico Química, Química Analitica, Química Organica, Química Inorgânica) - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA, Ponta Grossa, 2015.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://tede2.uepg.br/jspui/handle/prefix/6
Issue Date: 20-Mar-2015
Appears in Collections:Programa de Pós - Graduação em Química - Doutorado

Files in This Item:
File SizeFormat 
CARMEN LUCIA VOIGT.pdf5.05 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.